Testemunha social

Por Rogério  Vilarong – 11/10/2013

Uma busca para descobrir mais sobre sua irmã que faleceu há anos atrás e conhecer mais sobre ela acaba demonstrando que tudo se encontra presente em quem está procurando. Assim é ELENA de Petra Costa.

A narrativa nos faz mergulhar nesse mar infinito e sem explicação que é o sentimento por alguém que se foi, mas que segue vivo dentro e fora de quem é deixado. Na fita, Petra estimula os sentidos e aguça os sentimentos do espectador. Não há o mais duro que permaneça sem deixar fugir gotas de lágrimas que nos remete a família, a nossos valores mais profundos. “Elena” é o percurso que Petra nos leva graças a junção do seu diário e o de Elena, sua irmã mais velha que se suicidou em Nova York. Este suicídio que se dá por conta de depressão e solidão é passado para o espectador de forma poética, como se dá todo o filme, e é isso que nos transparece mais fortemente. Elena não fala de tristeza, de solidão, de depressão nem de nenhum sentimento angustiante. Elena fala de amor, de superação, de busca e auto descoberta.Com voz em off Petra narra toda a história. A voz se dá em tom suave aliado com uma trilha que ressalta essa doce voz. A soma de tudo é um misto de sensações. Elena atua também como uma reflexão da busca de todos nós sobre nós mesmos. Petra por vezes confunde sua identidade com a de Elena, assim como nos confundimos com identidades que passam por nossas vidas e seguem seus caminhos. Elena então é a essência de uma vida que, misturada com o cinema, se transforma numa narrativa explícita de uma busca pelo que se encontra dentro da “testemunha social” Petra Costa.

Elena assume o papel de diário, um outro diário de Petra e nos mostra a transformação da dor em alegria, vitória, do vazio pela grande essência que se conquista com a alegria, da fraqueza a dança, ao teatro, ao cinema, seja como atriz ou como uma grande cineasta que abre não só o diário, mas o seu coração com toda a sensibilidade e nos conta essa bela e alegre história de começo e recomeço de duas vidas que se equilibram em uma.

Índice

(345 artigos)