Ode a uma sonhadora

Juliana Soares, no blog OitavaArte – 23/5/2013

Making of de Elena - the film/ o filme Barra do Una - Litoral Norte de São Paulo

Até onde você iria por um sonho?

Se me perguntassem, eu não saberia responder.

Não porque desisto facilmente dos meus sonhos ou porque eles não sejam tão grandes assim. É só por não saber mesmo, sabe?

O meu limite talvez seja o outro. It means, eu vou até onde não coloque a vida de outras pessoas em xeque ou até onde eu não tenha que mudar a vida de ninguém por isso.

Não me faz bem a sensação dos outros abrirem mãos dos seus sonhos pelos meus, não faz e só. Sempre fui assim – desde criança.

E quando me deparo com essas coisas, choco.

Mesmo.

Elena é uma dessas corajosas que topa tudo e qualquer coisa por um sonho. Sem medir distâncias e o mais interessante é: ela encanta e aviva esses sonhos nos outros.

Viver de arte é um dos sonhos mais bonitos e audaciosos que já vi. Num país como o nosso, diria até que aos olhos de muitos é um disparate.

A falta de oportunidades tentadoras leva Elena à Nova Iorque, e em busca de realizações, a protagonista deixa para trás seus pais, seu país e a irmã, Petra, de sete anos.

Uma escolha? Talvez. A de abrir mão da própria vida pela arte.

Petra Costa (re)cria sua irmã através de recortes de memória, gravações antigas e depoimentos. Ela vai em busca de uma Elena que não se encontrou. A Elena que deixou seus sonhos perdidos por aí.

Elena é um daqueles filmes da vida real que nos batem à porta quando achamos que tudo está meio morno, mas preparem-se: a vida pode sempre ficar mais fria.

Índice

(345 artigos)