Elena – Petra Costa (2013)

por:  – Café com Whisky – 10/6/2013

 

Depois dessa avalanche de Elena que as propagandas em tudo quanto é tipo de midia me bombardeou, resolvi sair mais cedo da aula e ir assistir a esse filme, claro, com meu orgulhoso e sem sentido senso de que “Quanto mais dizem bem do filme, mais brochante ele seria” (videLinconl e Miseráveis) eu não fui assistir por puro modismo, ou melhor, um falso moralismo “hipster”, e não podia estar mais enganado, assim como toda pessoa prepotente, eu odeio estar errado e não admito meu erro tão fácil, mas gostei de ter quebrado a cara.

Sinopse:

“Elena viaja para Nova York com o mesmo sonho da mãe: ser atriz de cinema. Deixa para trás uma infância passada na clandestinidade dos anos de ditadura militar e deixa Petra, a irmã de 7 anos. Duas décadas mais tarde, Petra também se torna atriz e embarca para Nova York em busca de Elena. Tem apenas pistas: filmes caseiros, recortes de jornal, diários e cartas. A todo momento Petra espera encontrar Elena caminhando pelas ruas com uma blusa de seda. Pega o trem que Elena pegou, bate na porta de seus amigos, percorre seus caminhos e acaba descobrindo Elena em um lugar inesperado. Aos poucos, os traços das duas irmãs se confundem, já não se sabe quem é uma, quem é a outra. A mãe pressente. Petra decifra. Agora que finalmente encontrou Elena, Petra precisa deixá-la partir.”

Confesso que me deparei com uma sinopse mais poética do que indagativa. O meu interesse em assistir essa produção, nada teve a ver com ela. Não é uma sinopse qualquer, se tratando de um documentário filme que se mostrou não ser um qualquer. Petra poderia simplesmente ter contado a história de maneira literal e corriqueira, mas adotou uma forma lírica e bastante artística para fazer essa homenagem.

Sim, HOMENAGEM. É muito complicado falar de um filme sem dar spoilers (pra mim) ainda mais se tratando de algo como Elena. Mesmo com a super propaganda e a hipervalorização desmedida, o filme realmente foi espetacular.

A beleza que foi filmado é tocante. E Petra realmente conseguiu transformar uma história que não era da conta de ninguém, ou melhor, uma tragédia, em pura poesia.

“Espalhados” pela net, estão alguns comentários em video e até mesmo testemunho de algumas celebridades que gostaram muito do que foi feito, essa aqui, apesar de não se diferenciar das demais é a que eu escolhi para postar. Gosto demais de Osmar Prado, nutro uma paixão pela sua paixão em atuar. talvez o que mais se identifica com esse post e com a minha visão do filme em si.

Índice

(345 artigos)