Documentário mais assistido no Brasil em 2013 entra em cartaz no Bloor HotDocs

Por Christian Pedersen – Oi Toronto – 6/8/2014

capa linha do tempo

‘ELENA é uma experiência cinematográfica rara. Um filme que provoca 60 insights por minuto’, disse o diretor Fernando Meirelles depois de assistir ao filme. Dirigido por Petra Costa, ELENA é um documentário baseado na vida da atriz Elena Andrade, a irmã mais velha da diretora. O filme já foi visto por mais de 45 mil pessoas no Brasil, o que para um documentário brasileiro é um “big deal”. Premiado nos festivais de Brasília, Havana e Varsóvia (entre outros), Elena será exibido nos dias 8, 10, 11 e 14 de agosto, no Bloor HotDocs Cinema. Participe do sorteio e concorra a ingressos.

Sinopse

petra escada

Elena viaja para Nova York com o mesmo sonho da mãe: ser atriz de cinema. Deixa para trás uma infância passada na clandestinidade dos anos de ditadura militar e deixa Petra, a irmã de sete anos. Na hora do adeus, a atriz dá um modesto presente para a irmã: uma concha. “Se você sentir falta de mim, coloque-a no ouvido para que possamos conversar”

Duas décadas mais tarde, Petra também se torna atriz e embarca para Nova York em busca de Elena. Tem apenas pistas: filmes caseiros, recortes de jornal, diários e cartas. A todo momento Petra espera encontrar Elena caminhando pelas ruas com uma blusa de seda. Pega o trem que Elena pegou, bate na porta de seus amigos, percorre seus caminhos e acaba descobrindo Elena em um lugar inesperado. Aos poucos, os traços das duas irmãs se confundem, já não se sabe quem é uma, quem é a outra. A mãe pressente. Petra decifra. Agora que finalmente encontrou Elena, Petra precisa deixá-la partir.

O filme fala sobre a persistência das lembranças, a irreversibilidade da perda, os efeitos da ausência de sua irmã, as emoções que Petra chama de “memórias inconsoláveis​​”.

Jornada

6963732330_2ba2334784_c

A ideia de fazer um filme sobre sua irmã Elena surgiu quando a diretora Petra tinha 17 anos. A jovem se deparou com um dos antigos diários da irmã em casa, escrito quando ela tinha apenas 13 anos. Em uma entrevista, a diretora declarou que teve a estranha sensação de que estava lendo suas proprias palavras, “como se fosse o meu diário”, descreveu Petra.

Da leitura daqueles diários até o projeto do filme passaram-se dez anos. Petra descobriu cerca de 50 horas de vídeos caseiros filmados por sua irmã, dos quais pelo menos 20 horas tinham sido filmadas no ano em que Petra nasceu. Aos 13 anos, Elena recebeu sua primeira câmera de vídeo. Imediatamente, Petra começou a entrevistar cerca de 50 familiares e amigos de Elena, reunindo um total de 200 horas de filmagem.

Quando foi para Nova York, ela levou consigo uma caderneta de telefone com os antigos contatos da irmã e começou a rastrear os nomes, um por um, procurando-os pela internet e nas redes sociais. O filme finalmente começa a tomar forma e ganhar sua estrutura definitiva quando a diretora decide ir para frente das câmeras, tanto como uma personagem como uma documentarista. Petra filmou sua jornada e elaborou seu roteiro ao lado da colega Carolina Ziskind.

Sorteio de ingressos

O OiToronto vai sortear um par de ingressos, que darão o direito a um(a) leitor(a) com acompanhante a assistir ao premiado documentário Elena na sessão de lançamento, nesta sexta, 8 de agosto, no Bloor HotDocs Cinema.

Para participar, confira o vídeo abaixo, procure pela resposta para a pergunta “Com quem Elena foi para a Amazônia?”, e envie um email com telefone de contato (até quinta, 7 de agosto) para [email protected]

Atenção: Só serão aceitos emails com número de telefone da Grande Toronto.

Os ingressos são cortesia da distribuidora Syndicado.

 

Índice

(346 artigos)